Inovação e crescimento institucional.

“Hoje, do ocidente ao oriente, do primeiro ao terceiro mundo, não há escapatória: o lema (ou dilema) é mudar! Olhe a sua volta e veja se você é capaz de encontrar os edifícios do bom e velho sistema. Com certeza, sobrevivem apenas seus vestígios arqueológicos. A velha ordem implodiu de vez, estamos diante da tarefa entusiasmante para alguns, apavorantes para outros de reinventar nossas organizações, seus credos e junto com elas nosso estilo de atuação. “

A frase acima em destaque é parte de um texto escrito por mim no livro: Em Benefício da Educação organizado pela Linha Direta e publicado em 2006 pela Editora Hoper. De lá para cá continuamos a estudar os efeitos das atividades inovativas no sistema de educação brasileiro buscando alternativas de competitividade frente ao cenário econômico mundial.

Nos últimos seis anos cresceu o número de instituições de ensino privadas cujos acionistas irão alocar recursos na pesquisa de novos produtos educacionais e também em novos serviços.  O desenvolvimento de novos produtos está diretamente relacionado a novos cursos, programas, parcerias, atitudes didáticas que agreguem a inovação no negócio. No tocante á inovação em serviços pode-se repensar desde a forma de como ofertar os cursos até a forma de abordagem com um público de possíveis alunos, serviços complementares disponíveis para a comunidade etc.

O que concede à instituição a vantagem do pioneiro é pensar sobre tipos de serviços ainda inexplorados. Oportunidades no segmento de ensino, na área científica ou tecnológica esperando que encontrem um mercado promissor e se destaquem através da inovação desde que a ação apresente uma solução original que tenha valor reconhecido e benefício econômico para todos os stakeholders. Assim, acontecem os ciclos evolutivos de desenvolvimento de uma instituição que a eleva a um novo patamar no segmento educacional.

Poucas tem sido as instituições ousadas que apostam em inovações ainda que incrementais, ou seja, as que se dão apenas pela melhoria de processos pré-existentes, ajustes e alinhamentos internos. Mas, volumosas as críticas aos processos de inovação educacional, o que demonstra a  ausência de uma cultura organizacional de inovação no segmento que, além de excessiva regulação é extremamente formal e conservador ao compararmos com outros segmentos.

Estamos diante de alguns impasses globais que demandam maior habilidade na gestão da inovação e são ao mesmo tempo desafiadores:

  1. 1.      Conhecimento Integrado:

A mudança do modelo de apropriação do conhecimento, antes enciclopédico, hoje transdisciplinar que sobrevoa as especificidades da área sem, contudo conseguir ser capturado por nenhuma delas.  A busca por uma estrutura sistêmica capaz de abstrair a natureza física dos fenômenos e coloca-los num espaço inter relacional onde a relação entre os conhecimentos nos leva a novos modelos de aprendizagem compreendendo diversos aspectos de uma mesma fenomenologia. A junção de várias disciplinas para a resolução de problemas intitula-se interdisciplinaridade. O que estimula a formação de equipes multidisciplinares. Para um diálogo interdisciplinar com uma natureza holística algumas instituições criam seus núcleos interdisciplinares. Porém a velha estrutura departamentalizada, as estruturas lineares de currículo permanecem organizados de forma tradicional. É uma iniciativa mais tímida, que, contudo, permite a integração de disciplinas no desenvolvimento do projeto pedagógico.

Estruturas maleáveis e modulares podem criar dinâmicas do conhecimento  progressivas e mais interessantes, pois há intensa integração entre corpo docente e as disciplinas. Ao se trabalhar com estruturas curriculares modular a carga de trabalho docente é equilibrada durante o processo, sem sofrer as oscilações de um semestre para o outro e isso fortalece os aspectos de relacionamento entre docente e instituição, docente e aluno, e de todo o grupo fazendo que a estrutura de serviços aconteça com maior fluidez. O avanço de uma construção curricular em módulos torna evidente a maior integração de conteúdos. Possibilita o trânsito de alunos e docentes fazendo com que o aluno exerça sua autonomia diante de suas escolhas e que o corpo docente esteja em constante capacitação para ministração de um grupo de disciplinas que talvez não lhe seja tão familiar. Ações em que os professores se sentem desafiados a criar novas capacidades através de programas de capacitação, na maior parte das vezes propiciado pela própria instituição.

Mas, ainda não é o melhor dos mundos. No processo ideal o que se modifica é a estrutura das disciplinas durante os momentos de construção do conhecimento, combinando temáticas, sincronizando o tempo e alcançando um estado de totalidade. Estas são algumas das inovações incrementais que afeta positivamente o desempenho e, por consequência, a competitividade da instituição.

  1. 2.      Novas dinâmicas do conhecimento

Como dito, o conhecimento não é mais cumulativo e sua rápida obsolescência é a resultante do impacto das ações inovativas e pioneiras, que se dão pela transferência do conhecimento adquirido através de pesquisas para artefatos que potencializem a vida do homem e torna a sociedade cada dia mais dependente do avanço tecnológico.

Essa é a realidade frenética construída pela ciência e muitas vezes não nos damos conta. O conhecimento torna-se rapidamente obsoleto criando surtos de desregulamentação em setores importantes da economia, pois o ambiente competitivo faz com que a empresa “X” queira inovar seus produtos ou serviços antes da empresa “Y”. Um dos fatores que deveria chamar a atenção de Gestores Educacionais e Docentes é relatado no projeto pedagógico abaixo:

“Enquanto a duração de uma carreira profissional no século XXI poderá se estender a 40 anos ou mais, a duração dos ciclos tecnológicos se reduz tipicamente a menos de cinco anos, podendo chegar a um ou dois anos em períodos de grande dinamismo. Se considerarmos um aluno que ingressa num curso superior em 2013 para chegar ao mercado de trabalho em 2016, certamente a maior parte do conhecimento profissional que ele terá de aplicar entre 2016 e 2050-2055, quando se aposentar, ainda não existe hoje nem estará disponível durante o seu curso universitário.” (UFABC, 2006.p.35)

A mesma premissa vale para o Ensino Básico. As demandas para se viver na sociedade do futuro não são contempladas hoje no currículo.

  1. 3.      A busca por uma sociedade sistêmica

O ensino superior passa a funcionar como mecanismo de integração social ao atender as aspirações da população em cursar uma faculdade. O fator de exclusão social nos dias de hoje não é mais o analfabetismo, mas o curso superior. Portanto a importância de se pensar em mecanismos de inclusão, mesmo nas instituições privadas é um dos aspectos a ser considerado. Numa constante parceria entre governo e setor produtivo se faz necessário criar incentivos que possibilite o segmento privado a se comprometer com a inovação no ato de assegurar que todos os segmentos da sociedade estejam representados e atendidos.

  1. 4.      A instituição e sua inserção no contexto nacional e regional

Toda instituição precisa descobrir sua vocação como polo de referência acadêmica capaz de alavancar o conhecimento comprometido com o desenvolvimento social e com a solução dos problemas que impactem diretamente na melhoria da qualidade de vida da população e da nação. Nesse aspecto o projeto interdisciplinar em consonância com equipes multidisciplinares pode atender a várias frentes de desenvolvimento investindo em conhecimento aplicado que propicie a busca por oportunidades inovativas.

A construção de uma realidade educacional com tal identidade é um processo contínuo e permanente. Mas, cada instituição precisa se redescobrir encontrar seu potencial empreendedor. Ações para o aprimoramento de produtos e serviços educacionais é um pressuposto básico para sobrevivência institucional e a metodologia para construção dessa realidade começa na promoção da cultura de inovação.

Profa. Maria Carmen Tavares Christóvão

Anúncios

Publicado em 01/03/2013, em Uncategorized e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: